Símbolos

Bandeira

Criação
O projeto de criação da bandeira de Sapucaia é de autoria do servidor público federal e professor, Dejair Zanon e data de 21 de dezembro de 1968. Descrição e interpretação Campo dividido em três faixas da mesma largura. A primeira e a terceira de azul celeste e a segunda, de branco alinhada com cinco estrelas em vermelho, evidenciando os distritos municipais que são: Sapucaia, Anta, Aparecida, Jamapará e Pião, sendo que o do centro, um pouco maior, representa a sede, politicamente distinguida com o topônimo SAPUCAIA. O azul e o branco representam os cores da bandeira do Estado do Rio de Janeiro, acrescido do vermelho, evidenciando, assim, a luta e a intrepidez do povo sapucaiense.
Brasão

A Constituição Federal dispõe, sob o titulo “Da Organização Nacional”, Capítulo I, artigo 1°, que o Brasil é uma República Federativa constituída sob o regime representativo, pela união indissolúvel dos Estados, Distrito Federal e Territórios. Em seu art. 13, § 1º, a carta Magna garante que o município pode ter símbolos próprios, como: bandeira, hino, armas e selo, tendo ainda a faculdade de instituir as suas cores. Desta forma foi criado em 21 de dezembro de 1968, através do projeto de Vera Lúcia de Carvalho Roux, o Brasão de Armas de Sapucaia, de Heráldica Brasileira de Domínio, aprovada pelo Estado do Rio de Janeiro.

Descrição Heráldica
Escudo português (ibérico), cortado de dois traços formando três campos. No primeiro de blau (azul), uma torre de igreja, da prata, e cinco estrelas de ouro acantonadas, tendo uma ao centro, ao alto, um pouco maior, no segundo, em campo de ouro frondosa árvore de sinople (verde), dominando todo o espaço ao centro; no terceiro de verde, uma faixa ondada de prata. Listel de Golés (vermelho) listado com os seguintes dizeres: 1808/ SAPUCAIA/ 1874, de prata, envolvendo, nas extremidades, uma haste de cana e um galho de cafeeiro frutado, à destra (direita) e à sinetra (esquerda), respectivamente, nas suas cores. Tudo estimado pela coroa mural, por cinco torres, de prata que é de cidade, tendo ao centro uma elipse de blau (azul), evidenciando um lírio aberto, de prata.

Elucidário
O português, em toda sua beleza, lembra a origem lusitana de nossa pátria; a torre, evidenciando a matriz de Santo Antônio de Sapucaia, padroeiro da cidade; as cinco estrelas, assinalam os distritos de Sapucaia (a maior) — Anta — Nossa Senhora Aparecida — Jamapará — Pião. A árvore centenária representa simbolicamente, uma Sapucaieira (corruptela do vocábulo indígena “Yçapucai”, nome de uma árvore então abundante na região); a faixa ondada, o Rio Paraíba do Sul que banha o município, dando-lhe divisa com o Estado de Minas Gerais (com os municípios de Chiador e Além Paraíba); cana e café, riquezas do passado e ainda presentes; o lírio destaca o orago de Sapucaia (Santo Antônio); As datas 1808, fundação; 1874, elevação a dignidade de cidade, por lei de 07 de dezembro.

Metais e Esmaltes
Seus significados: Ouro (força), Prata (candura e dignidade); Blau (azul – serenidade); Golés (vermelho – intrepidez e decisão); Sinople (verde – abundância e prosperidade). *Texto baseado em documento original datado de 21 de dezembro de 1968 do Professor Alberto Lima Heraldista e Desenhista com exercício na Secretaria Geral do Exército Brasileiro.
Hino


Cidade das Mangueiras
De heróica tradição
Suas lindas cachoeiras
Nos enchem de emoção.


Cantemos com saudade
Um hino de louvor
Honrando esta cidade
Com fé e destemor.


Suas praças tão bonitas,
Sua luz traz alegria.
as famosas senhoritas
Inspirando poesia.


Veneramos Santo Antônio,
Padroeiro da cidade,
Pois é dele o patrimônio
Que nos dá felicidade.


“Árvore Grande”! Simbolismo de amor!
Velho ornamento que encanta a cidade.


“Árvore Grande”! de beleza e frescor!
Que nos dá a sombra, esperança e saudade.