Warner, Regina Alípio e Marcella Raposo lutam para que Cedae melhore abastecimento do condomínio Flor de Lis em Jamapará

A crise hídrica que afeta o quarto distrito da cidade também agrava o problema, apontam vereadores

 O Presidente da Câmara de Sapucaia, Vereador Warner Pereira Gomes (PMDB) e as vereadoras Regina Alípio (PSB) e Marcella Raposo (PP), se uniram para encaminhar pedido a Cedae no sentido de resolver de forma definitiva o problema de abastecimento de água do condomínio Flor de Lis, localizado em Jamapará.

As unidades habitacionais do condomínio foram construídas depois que na madrugada do dia 09 de janeiro de 2012 uma forte chuva atingiu o distrito e uma pedra se deslocou em Jamapará atingindo construções das ruas Sebastião J. Morais, Amaral Peixoto, Waldir Baião e rua dos Barros. Ao todo vinte casas foram inteiramente soterradas e morreram no local 12 homens, 6 mulheres e 4 crianças.

Marcella e Regina apontam ao Diretor do Interior da Cedae, Sr. Heleno Silva, que há necessidade do envio de uma equipe técnica ao local para analisar melhor a questão. Já o Presidente da Câmara, Vereador Warner, diz que a implantação de um “registro” para manobra no abastecimento na praça do condomínio, minimizaria os problemas hoje enfrentados pelos moradores.

Para os vereadores a crise hídrica que afeta o quarto distrito da cidade também agrava o problema, já que moradores de todos os bairros de Jamapará ficaram com as torneiras secas por mais de sete dias na última semana.

De acordo com nota divulgada pela empresa, que deve ser vendida brevemente em garantia à concessão de um empréstimo de R$ 3,5 bilhões no plano de recuperação do estado do Rio como condição da União, o problema da falta d’água se dá no distrito em função da estiagem dos últimos meses e da consequente redução dos níveis dos mananciais, onde ocorre a captação de água para tratamento e distribuição. A companhia disse ainda que haverá redução no fornecimento de água para o distrito de Jamapará, e que vem realizando manobras operacionais para minimizar os efeitos da seca na área da nascente do córrego Cortiço, que abastece a região. Por isto pede que moradores evitem o desperdício e consumam água de forma racional.

Moradores de todo distrito reclamam que a água não chega, mas que as contas mensais chegam sem problemas, inclusive, com altos valores.